how to create own website

Eventos

Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo 

Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo

O Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo - CIAAR - foi criado por uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha e diversas ONGs de Investigação e Património em estreita relação com o sector de Arqueologia e Pré-História do Instituto Politécnico de Tomar.

É a única infra-estrutura do género em Portugal. Situado no Largo do Chafariz, em Vila Nova da Barquinha, este espaço destinado à população jovem e estudantil dispõe de uma exposição permanente, onde está representado o espólio arqueológico do Ribatejo Norte.

 

“Dimensões do Passado – Homenagem a José da Silva Gomes”

Mobirise



É apresentada a ideia conceptual relativa à criação do Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo, no concelho de Vila Nova da Barquinha (CIAAR).

Em simultâneo, está patente uma pequena mas sentida homenagem ao seu primeiro director, José da Silva Gomes.

A nossa homenagem está patente através de uma série de imagens que nos revelam o que foi o seu dia-a-dia arqueológico e, em vitrina, estão dispostas algumas lembranças usadas nos tempos dedicados a este afã.


Espaço Expositivo 1
Patente uma exposição monográfica sobre as cavidades cársicas do vale do Nabão: Gruta do Morgado, Gruta do Cadaval, Gruta dos Ossos e Gruta de Nª. Srª. das Lapas.
Esta é uma exposição sobre as grutas intervencionadas nos anos 80 do século passado, sendo de salientar a importância funerária que todas elas têm para a compreensão de uma das unidades geomorfológicas que pertencem ao espaço geográfico ocupado pelo Alto Ribatejo.
Podemos observar não somente registos, mas também artefactos, da ocupação funerária destas cavernas durante os tempos do Neolítico e do Calcolítico. Os artefactos expostos em vitrina resultam de oferendas votivas adicionadas aos enterramentos dos indivíduos falecidos, numa fase da História da Humanidade em que as comunidades já se dedicavam à domesticação de plantas e de animais e possuíam tecnologias como a de cozer o barro, produzindo recipientes cerâmicos, polimento da pedra para produzir machados, e mais tarde, manuseamento de elementos de jazidas de cobre, originando assim uma nova etapa da História do Homem.
 
Espaço Expositivo 2
Este espaço está reservado à divulgação de sítios arqueológicos intervencionados no Alto Ribatejo.
As campanhas arqueológicas tiveram o seu início em 1983 e prolongam-se até aos dias de hoje.
A lógica expositiva está subordinada a uma área geográfica que possui três unidades geomorfológicas distintas: O Maciço Calcário do Jurássico, o Maciço Hespérico e a bacia Sedimentar do Médio Tejo. Em cada uma destas unidades geomorfológicas foram encontrados sítios arqueológicos que são classificados como habitat, povoado, necrópole, anta e arte rupestre.
Para além de uma apresentação geomorfológica e da compreensão da importância dos rios nas vidas das comunidades do passado, os sítios arqueológicos, os artefactos e as réplicas de solos estão subordinados às duas grandes áreas da Pré-História: A Pré-História Antiga e a Pré-História Recente.
A Pré-História Antiga é representada, no vale do Médio Tejo, pelo arqueossítio Ribeira da Atalaia, pertencente a um período vulgarmente conhecido como o dos Caçadores-Recolectores e por várias manchas de ocupação das quais se salientam diversos artefactos líticos, como as peças bifaciais, tão características deste período da História da Humanidade.
A Pré-História Recente, caracterizada pela existência de outro tipo de comunidades – as Agro-Pastoris, revela já uma maior diversidade de tipo de sítios e de artefactos.
Neste período, salientamos:
- Existência de ocupação funerária, quer em cavidades cársicas quer em monumentos megalíticos;
- Existência de habitats - povoados - aldeias, onde é possível observar a existência de variado tipo de estruturas como silos, fornos, buracos de poste, estruturas construídas com materiais autóctones, como seixos de quartzo e de quartzito;
- Existência de expressão plástica do imaginário humano caçador-recolector e agro-pastoril, revelado pelo que comummente é conhecido por Arte Rupestre, quer através da pintura quer através da gravura.
Os materiais colocados em vitrinas são materiais de ocupação funerária e revelam o grau de importância que as gentes agro-pastoris dedicavam aos seus mortos.
Através da variada tipologia dos artefactos que foram colocados nos locais fúnebres, podemos induzir uma vivência rica em variada matéria-prima utilizada não somente em locais funerários mas também em locais de habitat, seja em suporte lítico, cerâmico, ósseo ou conquífero.

Sarau de Ciências – A Ciência à nossa volta.

No âmbito do Projeto Ciência do Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha decorreu na noite do dia 31 de março um Sarau de Ciências, na Escola D. Maria II. Foram apresentados alguns trabalhos desenvolvidos na escola e por alunos da escola, bem como algumas atividades dinamizadas por representantes da sociedade em várias áreas profissionais. O objetivo geral das atividades foi mostrar a importância da Ciência no mundo que nos rodeia.
Os alunos apresentaram vários projectos entre eles, carrinhos com células fotovoltaicas, uma tabela periódica feita com caixas de fósforos, fornos solares, entre outros.
O CIAAR (Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo) aceitou o convite e apresentou a arqueologia como ciência e a sua ligação com outras ciências, como história, antropologia, geologia, paleobotânica, arqueoozoologia, etc. Além do CIAAR, estiveram presentes outras entidades como o CIEC e o Centro de Ciência Viva de Constância.
Ao longo da noite o Clube happening apresentou rábulas científicas, houve lugar a um momento de magia e em simultâneo decorreu um festival de sopas e tapas para os presentes poderem degustar.
Numa noite em que a escola esteve aberta à comunidade e contou com a presença dos pais e familiares, o sarau teve a participação da Rádio D. Maria II.


OTL  2018
(ocupação de templos livres) 

Em 2017-18 decorreu mais uma vez no CIAAR o programa OTL (Ocupação de Tempos Livres) em colaboração com o Município de Vila Nova da Barquinha

Ciência Viva no Laboratório
Julho de 2016 

Projecto Ciência Viva no CIAAR, em colaboração com o Instituto Politécnico de Tomar e com o Apoio do Município de Vila Nova da Barquinha. 

Ciclos de Palestras
Sábados às Cinco com...

Ciclo de Palestras relacionadas com Património, levadas a cabo no primeiro Sábado de cada mês, no Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha.
Esta actividade resulta do protocolo de cooperação existente entre o Centro de Pré-História do Instituto Politécnico de Tomar e o Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo - CIAAR e a Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha
Mobirise

Algumas Fotos

Mobirise

otl 2015
ocupação de tempos livres

Mobirise

ciaar

Mobirise

Sala de Tratamento

Morada

 Largo do Chafariz Nº3

2260-407 Vila Nova da Barquinha - Portugal


Contactos

Email: [email protected]                    
Telefones:
249 711 209